top of page
Buscar
  • Marketing 4SR

Segurança de dados: entenda o que é e como ela afeta a experiência das pessoas



Ameaças e intimidações estão por toda a parte e, infelizmente, na internet não é diferente. Apesar de não estarmos sendo fisicamente ameaçados quando utilizamos a internet, nossos dados podem estar expostos às situações mais inusitadas e perigosas, afetando assim, a segurança de dados.


Antes mesmo da digitalização — e virtualização — dos arquivos e dados das empresas, a segurança de dados já era vista como algo essencial. Mais do que nunca, hoje em dia os dados não são vistos apenas como mera informação, mas sim, como um ativo de valor para o negócio, que precisa ser fundamentalmente protegido.


Sabendo disso, fica claro que a segurança dos dados da sua empresa é essencial, com isso, preparamos um conteúdo para te guiar nesta jornada sobre o que de fato é segurança de dados e qual sua importância. Boa leitura!


O que é segurança de dados na internet?


Não diferentemente do que nossos pais e avós já diziam: guardem com segurança documentos importantes, para que você não os perca ou alguém pegue-os de você!


Pois é, a internet chegou, digitalizou muitas coisas da nossa vida e de nossos negócios. Acontece que, não é porque estamos em um ambiente virtual, que nossas informações não precisam estar ‘guardadas’ com segurança, muito pelo contrário.


Mas afinal, o que é segurança de dados? Entende-se como segurança de dados, por definição, a proteção de informações, dados e documentos valiosos para uma empresa — como listas de clientes, fluxo financeiro, dados de fornecedores etc, que são fundamentais para o pleno funcionamento da empresa.


Como você deve saber, o banco de dados — os conjuntos de informações de um negócio (como dados de clientes e fornecedores, indicadores do negócio etc) — são essenciais para um bom desempenho em qualquer empresa. Já pensou não ter acesso ao e-mail, o número de telefone dos seus clientes ou ter essa lista compartilhada com seus concorrentes?


Com a difusão da internet, também cresceu o número de crimes virtuais, dentre os quais, o vazamento de dados. A segurança do banco de dados aparece como uma importante ação a ser tomada de forma a evitar tais transtornos.


Em empresas, sobretudo, a segurança de dados é crucial. Hoje em dia, com a implementação legal de leis que condicionam que empresas zelem pelos dados que coletam (como é o caso da LGPD que falaremos mais adiante), segurança de dados não é preciosismo, mas sim, uma medida obrigatória para assegurar a confidencialidade e a proteção de dados e informações sigilosas.


A nuvem trouxe muita comodidade para armazenamento de dados e um certo alívio por reduzir os riscos e custos altos com banco de dados internos. No entanto, a segurança de dados em nuvem não deixa de ser importante. É preciso adotar medidas e soluções que reduzam perdas indesejáveis de dados.


Sabemos que com a crescente tecnológica, cresce proporcionalmente as ameaças e, buscando combatê-las, desenvolvem-se diferentes métodos de segurança de dados. Entre os tipos de segurança de dados, podemos citar alguns exemplos:


  • Criptografia: Um dos tipos de segurança de dados mais importantes, sobretudo pela capacidade de tornar uma informação ilegível para quem não tem acesso liberado ao dado. Desta forma, evita-se furtos de informações. Por exemplo, aplicativos de conversas possuem criptografia de ponta a ponta, onde ninguém, além dos usuários daquela conversa (chat), podem entender a mensagem transmitida.


  • Certificado de acesso: Objetiva ofertar condições de maior segurança às comunicações e transações eletrônicas, sem perder a autenticidade e integridade das informações.


  • Controle de acesso: Medidas que visam a proteção de dados por meio da autorização de acesso dos usuários em diferentes camadas de segurança;


Quais são os 4 pilares da Segurança da Informação?


Quando implementada apropriadamente, a segurança da informação afeta positivamente o negócio, não apenas assegurando maior confiabilidade na estabilidade dos dados, mas otimizando a operação como um todo e trazendo maior credibilidade do seu negócio ao mercado. Para isso, a segurança da informação é balizada em 4 pilares:

  1. Princípio da confidencialidade

Não é atoa que confidencialidade é um princípio da segurança dos dados. Esse princípio busca assegurar que, qualquer que seja a informação, ela esteja disponível apenas para quem tem permissão de acessá-la, ou seja, impõe hierarquia de acesso e mecanismos que controlam quem pode ou não visualizar, como por exemplo criptografia e compartilhamento.

  1. Princípio da integridade

Define que nenhum dado pode ser alterado de forma indevida, onde que a informação só tem permissão para ser alterada por pessoa autorizada, ou seja, todo e qualquer tipo de alteração deve ser autorizada pela empresa detentora da informação.

  1. Princípio da disponibilidade

Este princípio busca assegurar que os dados estejam disponíveis em tempo integral. De forma geral, nenhum sistema pode ficar temporariamente sem dados, mas certos segmentos, a remota probabilidade de ficar ‘às cegas’ pode levar a prejuízos enormes, como e-commerces e bancos digitais.

  1. Princípio da autenticidade

Tão importante quanto os demais, este pilar busca assegurar que o usuário que está utilizando, acessando ou mesmo produzindo a informação é ele mesmo, ou seja, identificar a real identidade do usuário.


Este princípio assegura um ‘sub-princípio’, chamado de não-repúdio, onde o autor do acesso ou da confecção do dado não tem como negar que é a origem do processo, verdadeiro autor da entrada e/ou movimentação do dado.


Como fazer segurança de dados?


Diversas são as opções de se manter seguro e manter os dados da sua empresa em segurança, principalmente na internet. A segurança de dados na internet começa pelo uso de redes seguras, principalmente redes wi-fi.


Além disso, é altamente recomendado manter sempre os softwares atualizados, para que os padrões de segurança estejam em suas versões mais recentes. Ainda, não menos importante, fazer o backup dos seus arquivos e dados com regularidade, buscando sempre manter o acesso restrito e de preferência, com alguma forma de criptografia.


Qual a parte mais frágil em termos de segurança de dados?


Usualmente, o usuário é visto como a ponta frágil da segurança de dados. Isto porque quando um usuário confia seus dados em alguma empresa, independente do serviço ou produto que eles estejam adquirindo, há uma relação de confiança e, se por algum motivo, esses dados são perdidos ou ‘vazados’, é o usuário quem, ao fim de tudo, sai mais prejudicado.


Estes vazamentos de dados, além de prejudicarem a imagem das empresas, nessa relação de confiança, gera prejuízos milionários aos negócios, sendo mais um grande motivo para manter a segurança de dados em dia.


Segurança de dados (LGPD)


A Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) foi criada no Brasil de forma a se adequar às cobranças europeias da maneira como os dados pessoais eram coletados, tratados e processados pelas empresas no país.


Por fim, a LGPD diz respeito à privacidade e à proteção de dados pessoais, com uma série de benefícios para as empresas quanto às práticas de segurança de dados para melhorar a segurança digital. Ao contrário do que muitos pensam, a Lei nº 13.709/2020 vem para dar mais segurança para os usuários e também para as empresas.


Gostou desse assunto? Comente com a gente sua experiência com segurança de dados e fique por dentro de mais conteúdos como este em nosso blog!


Comments


bottom of page